• Acesse a área exclusiva:

Desintoxicação do organismo

A palavra desintoxicação é comum no cotidiano. É possível que você já a tenha escutado da nutricionista, da colega de trabalho, no sacolão e no programa de culinária da tevê. Qual é a ligação dela com a saúde e a perda de peso?

Você sabia que o fígado exerce diversas funções importantes para manter o equilíbrio do corpo? Conheça algumas:

– Produção de bile, essencial na emulsificação de lipídios

–  Conteúdo de parte do sistema imunológico

– Síntese e degradação de hormônios, como colesterol, estrógeno e testosterona, entre outros

– Controle no metabolismo de glicose

– Realização do metabolismo de primeira passagem de nutrientes, drogas, álcool e substâncias diversas (desintoxicação hepática)

É muito importante pensar sobre como cuidar do fígado.

Quando abusamos um pouco de determinadas substâncias (xenobióticas), fazemos com que trabalhe dobrado, dificultando o processo de desintoxicação.

É preciso entender o que são xenobióticos e como preservar essa função do fígado: a desintoxicação.

Vamos começar. O conceito de “xenobiótico’ é qualquer substância química ou molecular estranha ao organismo, originada externamente ou internamente, desde que não possua papel fisiológico conhecido. Essas substâncias causam irritação e/ou efeito danoso ao  organismo, reduzindo a atividade celular, a ação de receptores de enzimas  ou por acometer funções de absorção, distribuição, metabolismo e-ou excreção.

Os xenobióticos podem ser de origem externa ou interna. Os externos têm milhares de compostos químicos tóxicos. Diariamente, temos o potencial contato com esses compostos: aditivos alimentares, medicamentos, agrotóxicos de forma geral (herbicidas, fungicidas e pesticidas).

A desintoxicação é o processo para eliminação dessas substâncias xenobióticas, ocorrendo em todas as células, sendo, principalmente, nas do fígado e intestino.  As reações de desintoxicação ocorrem por um processo de três fases:

Fase I –  também chamada de bioativação

Fase II –  conhecida também como conjugação

Na Fase III –  última reação

A Nutrição aproveita a funcionalidade do alimento para otimizar as reações, ou seja, reduzir a toxicidade de uma substância com alterações químicas induzidas no corpo, produzindo um composto menos venenoso ou mais facilmente excretável.

Vários fitoquímicos presentes nos alimentos modulam as reações.  Podemos encontrar esses compostos fitoquímicos nas brassicas (ex: repolho, couve – flor, couve-manteiga, brócolis, couve de Bruxelas, mostarda, nabo, agrião, rabanete e rúcula).

Os glicosinalatos são compostos bioativos importantes para a saúde das células do fígado. Outros compostos bioativos também estão ligados à proteção das células do fígado, como, por exemplo, os flavonóides, quercitina e rutina.  A cúrcuma, também conhecida como açafrão da terra, é riquíssima em curcumina, fitoquímico antioxidante, antiinflamatório e antimutagênico. Assim como os  flavonóides estimulam  a síntese e a atividade da enzima presente na fase II, a glutationa – S- tranferase (GST).

O alecrim por sua vez, muito utilizado para chás, possui em sua composição flavonóides e ácidos fenólicos, como carosol e o ácido carnospoico, que aumentam a atividade da enzima GST, além do ácido ursólico e do rosmanol,  potentes antioxidantes, elimina o óxido nítrico e o peroxinitrito, resultantes do processo inflamatório ( possível inibição da enzima iNOs – cuja expressão gênica está aumentada durante o processo inflamatório). Outro chá bastante utilizado no dia a dia é o chá verde, rico em catequinas ( 30 a 40%), cujo efeito se dá por ação antiinflamatória, antioxidante, inibe a angiogênese, estimula as fases I e II com o aumento da enzima GST.

O alho, indispensável para as preparações, é rico em compostos organo enxofrados, sendo ligado à capacidade de acelerar as enzimas da fase II.

O própolis também é fonte riquíssima de flavonóides. Os estudos revelam uma ação na proteção do fígado de diversos xenobióticos, estimulando a ação da GST.

Após um excelente fim de semana, a dica da nutricionista é cuidar do fígado. Agora, sabemos o quanto é importante no processo de desintoxicação.

 Lembre-se de consumir água com limão, suco verde, chá de alecrim e chá verde, retirar o uso de álcool, cigarros, alimentos industrializados e bebidas enlatadas.

Procure um nutricionista para atingir o equilíbrio!

Tâmara Oliveira dos Reis
Nutricionista do Bhariátrica – Instituto de Obesidade e Cirurgia




Voltar

Agende uma consulta




Você receberá a confirmação do agendamento por telefone