Portugues
English
Spanish



Hérnia de Hiato e refluxo

A cirurgia anti-refluxo está indicada na falha do tratamento medicamentoso e quando aparecem as complicações da doença. A endoscopia é muito importante para essa avaliação, pois permite ao médico olhar o esôfago e o estômago por dentro e fazer biópsias. Outros exames como a pHmetria e manometria podem ser necessários para avaliar a quantidade do refluxo e a capacidade de funcionamento da válvula (esfíncter) do esôfago.

A doença do refluxo gastroesofagiano refratária aos medicamentos tende a evoluir para esofagite podendo provocar alterações do revestimento interno do esôfago, como ulcerações, metaplasia e displasias (Doença de Barrett), que em alguns casos  pode evoluir para câncer. A cirurgia tem como objetivo controlar os sintomas, acabar com a agressão ao esôfago e interromper a evolução da doença.

Como se faz a cirurgia?

Com uso de moderna tecnologia, a operação é realizada hoje por um método chamado laparoscopia, onde são feitos pequenos orifícios na parede abdominal, não necessitando grandes cortes. Com isto, a dor é mínima, com internação de um dia e o retorno ao trabalho pode ocorrer dentro de uma semana.

A cirurgia procura construir uma nova válvula usando o próprio estômago. Quando há hérnia de hiato, ela é reduzida e o fundo do estômago é posicionado ao redor do esôfago inferior de modo a criar uma “nova válvula” que aumenta a pressão neste local impedindo o refluxo.

Quais são os riscos da operação por laparoscopia?

Embora a cirurgia seja considerada muito segura, complicações podem ocorrer em qualquer operação. Apesar de raras, as complicações que podem ocorrer após a cirurgia incluem: hemorragia; lesões e infecção envolvendo a ferida, órgãos ou abdome; incapacidade de vomitar; dificuldade em engolir.

O que posso comer depois da operação?

Na primeira semana, alguns pacientes apresentam pequena dificuldade para ingerir alimentos. Esta queixa acontece normalmente nas primeiras 72h e é ocasionada pelo edema no local da válvula. Sendo assim, a dieta recomendada deverá ser líquido-pastosa na primeira semana.

Em quanto tempo posso trabalhar e fazer exercícios físicos?

Geralmente a internação é de um dia. O ideal é voltar ao trabalho após dez dias. Porém, em alguns casos, o paciente poderá iniciar trabalhos leves em uma semana dependendo da avaliação do seu médico. Exercícios físicos moderados somente após um mês de pós-operatório.

Quais as recomendações para o pós-operatório?

Aconselharia seguir o seguinte cronograma começando a contagem no dia da operação:

  1. Primeiros sete dias de pós-operatório: Dieta líquido-pastosa (sopas, purês, canjas magras, sucos naturais, gelatinas e geléias etc) sem gorduras e condimentos. Dar preferência a líquidos mais consistentes.
  2. Segunda semana de pós-operatório: Dieta branda (legumes cozidos, grelhados, purês, arroz, carne moída, massas) após liberação do seu médico.
  3. Não dirigir automóvel durante dez dias.
  4. Evitar atividade sexual durante quinze dias.
  5. Iniciar exercícios físicos leves somente após um mês (por exemplo: corridas, natação).
  6. Exercícios moderados após dois meses (por exemplo: hidroginástica, alongamentos, pilates, musculação).
  7. Cuidados com a operação.

Como recomendação geral, devemos retirar o curativo 24 horas após a cirurgia. Limpar o local com gaze estéril e álcool a 70 % e deixá-la coberta apenas com fita microporosa.

Pós-Operatório

A correção cirúrgica da hérnia de hiato e do refluxo envolve dois órgãos- esôfago e estômago- responsáveis pela digestão. Assim, é natural que ocorra uma dificuldade temporária ao engolir alguns alimentos, principalmente sólidos. Esta duração é variável, geralmente de poucas semanas. Portanto, algumas orientações devem ser seguidas para que esta dificuldade de deglutição cause pouco desconforto e a recuperação ocorra sem intercorrências.

Orientações

Tome apenas líquidos nos primeiros dias. Qualquer alimento que possa ser preparado no liquidificador ou que derreta na boca como gelatina, pudim ou chocolate poderá ser ingerido. Sucos de frutas, mesmo ácidos são permitidos. Quando a ingestão de líquidos estiver fácil e sem dificuldade, poderá haver progressão para a ingestão de alimentos pastosos. A carne deve ser o último alimento a ser ingerido, por ser de difícil passagem do esôfago para o estômago.

Evite bebidas com gás, como refrigerantes ou cerveja, nos primeiros meses. Mesmo sem ingerir esse tipo de bebida, é comum que o paciente tenha excesso de gás no estômago e intestino. O excesso de gás é devido à dificuldade do paciente arrotar nas primeiras semanas ou mesmo meses. Portanto evite alimentos que produzem gases como feijão, ervilha, brócolis, repolho, cebola, couve, batata doce, leite, ovo. Caso sinta-se empanzinado após comer, não se deite, procure caminhar que o alimento passará do estômago para o intestino e você se sentirá melhor. Pode ser indicado o uso do Luftal gotas em especial na primeira semana para evitar os gases.

Coma e beba devagar sempre, pois a ingestão rápida poderá provocar desconforto ou mesmo dor no peito. É comum que o paciente tenha a impressão de que o seu estomago “diminuiu de tamanho” e que a sua capacidade para comer ficou menor. Esta sensação é temporária e geralmente dura poucas semanas. A dificuldade para engolir, associada a esta sensação de redução no tamanho do estomago, faz com que alguns pacientes percam peso. A quantidade de perda de peso é variável.

É comum apresentar soluço, o qual desaparece em poucas horas ou dias. O soluço geralmente ocorre após ingestão rápida de alimentos, principalmente se forem muito gelados ou quentes (água gelada, chá gelado, sorvetes, etc.).

Dor no ombro pode ocorrer após este tipo de operação. Esta dor é geralmente causada pela irritação do diafragma e desaparece em poucas horas ou dias. Se for intensa, o paciente deve tomar analgésicos prescritos pelo seu médico.

Os pequenos orifícios feitos na parede abdominal devem ser cobertos com fita tipo Micropore, devendo ser trocada a cada 3-4 dias.
Pode-se tomar banho completo e molhar o curativo. Não use mercúrio, pomadas, cremes ou qualquer outro medicamento ou substância sobre as feridas. Entretanto, se a incisão tiver aparência de infecção (vermelho, com secreção de pus ou com cheiro forte), contate o seu médico.

O paciente deve evitar ficar acamado, podendo andar normalmente, ou mesmo subir escada. Os seus cortes foram pequenos e não deverão apresentar problemas, mas lembre-se que foram realizados pontos internos que precisam cicatrizar. Não carregue peso ou faça força, pois a hérnia de hiato pode voltar. Você poderá retornar ao trabalho a partir do 4º dia de pós-operatório, dependendo de suas atividades profissionais. Recomenda-se dirigir apenas após a primeira semana de operado. Evite esportes como corrida, tênis, natação, futebol, musculação, por trinta dias.

Se fizer uso de medicações para diabetes, hipertensão ou outras doenças, poderá voltar a tomá-las após retornar a sua residência (se tiver opção, dê sempre preferência a medicamentos na forma líquida ou solúvel). Em caso de dúvidas ou caso apresente alguma complicação, procure o seu médico.