• Agendamento Online: (31) 99229-5458 / 3273-7489

  • Av do Contorno, 4.747 – 16 andar, Ed. LifeCenter, Serra

  • Horário de atendimento : 08:00h - 19:00h

02 dicas de cuidados após a Cirurgia Bariátrica

A cirurgia bariátrica pode ser mais ou menos invasiva, dependendo do procedimento utilizado. A recuperação demanda dedicação e paciência. Seguem dois cuidados a serem tomados após um procedimento bariátrico:


Exercite-se: Não, você não deve sair da mesa cirúrgica e se registrar em uma academia logo em seguida. Mas precisa exercitar-se. Recomenda-se pelo menos 30 min de movimentação – como caminhada – mesmo durante a recuperação da cirurgia bariátrica. Isso irá ajudar prevenir a ocorrência de trombose e de uma prostração, situação comum depois de um procedimento cirúrgico.

 


Dieta: A dieta de recuperação após a cirurgia bariátrica é restritiva e incômoda, mas necessária. Ela foi desenvolvida para adequar-se às necessidades pós-operatórias. Fugir delas poderá provocar desde desconforto até deficiências nutricionais.

Quer saber mais sobre a Cirurgia da Obesidade? Clique aqui.

Cirurgia bariátrica: qual é o segredo do sucesso?

A cirurgia bariátrica, embora mais invasiva, é considerada o tratamento de maior efetividade, colaborando para a perda de peso

A população brasileira está aumentando a expectativa de vida e, ao mesmo tempo, também engordando, acarretando em um número cada vez maior de pessoas que passarão pela velhice com problemas associados ao excesso de peso. A obesidade, considerada a pandemia deste século, é uma doença crônica e progressiva, com alta comorbidade e recidiva em seu tratamento, representando importante desafio no seu controle tanto para médicos como para quem vivencia.

Poucas medicações estão disponíveis para auxiliar nessa abordagem e muitas delas sem efeitos satisfatórios. Um dos pilares do tratamento da obesidade é a cirurgia bariátrica. Discutir uma terapêutica não medicamentosa se faz necessário sempre que as comorbidades ou doenças associadas por esse excesso de peso se sobrepujarem aos riscos cirúrgicos, e o indivíduo passar a ter uma qualidade de vida ruim.

Antes de cogitar uma cirurgia, o paciente deve insistir em todas as medidas clínicas para perda de peso (reeducação alimentar, atividade física, mudança de hábitos, medicamentos, ajuda multidisciplinar) por pelo menos dois anos. Devemos ressaltar que motivar o indivíduo no engajamento das mudanças e escolhas, sem julgamentos,  é um papel importante dos profissionais que trabalham com obesidade já que é uma condição cujo controle e resultado precisa sempre da participação do paciente. É como se o indivíduo saísse da consulta com um “dever de casa”, tanto no tratamento clínico quanto no cirúrgico.

Maior efetividade

A cirurgia bariátrica, embora mais invasiva, é considerada o tratamento de maior efetividade, colaborando para a perda de peso, evitando sua recidiva e ajudando no controle das comorbidades. Para atingirmos esse “sucesso”, o paciente tem que se informar e compreender bem todo o processo pré e pós operatório, além de estar ativamente engajado nesse objetivo.

Existem hoje diferentes técnicas cirúrgicas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), cada uma apresenta suas vantagens, desvantagens e peculiaridades no pós operatório. É papel do médico encaixar o paciente em determinada técnica cirúrgica para obter um bom resultado no pós operatório e pode ser um dos principais fatores que determinam o sucesso. Para isso, o paciente precisa conversar, pesquisar e entender bem o que cada procedimento oferece e ajudar na escolha da técnica que mais encaixa com seu perfil e suas necessidades.

Muitos aspectos devem ser discutidos, entre eles quanto que cada técnica oferece de perda de peso versus a expectativa do paciente, as dificuldades na alimentação e hábito intestinal do indivíduo após a cirurgia versus perfil alimentar individual, resultados sobre “cura” de doenças como diabetes, hipertensão, dislipidemia, dentre outras.

Reajustes

O paciente precisa compreender que ele poderá comer todos os alimentos depois de um período da cirurgia, entretanto, alguns hábitos precisarão ser reajustados como velocidade da alimentação, fracionamento da dieta, volume por refeição, facilidade de ingestão de alguns alimentos frente a outros, necessidades nutricionais para evitar carências vitamínicas. Enfim, o paciente tem que compreender bem o novo estilo de vida que o espera e estar disposto a assumir esses novos hábitos, porque hoje temos um índice de reganho de peso em torno de 40%. Os resultados são excelentes quando se trata de perda de peso e redução ou suspensão de medicamentos para outras patologias associadas a obesidade, mas esse não é o único objetivo, o paciente tem que estar bem e feliz.

Para isso, um aspecto importante também é lembrar que hábitos e preferências não irão ser modificados com a operação e, muitas vezes, o paciente pode precisar de acompanhamento psicológico/psiquiátrico para ajudá-lo no ajuste das modificações comportamentais, sociais e afetivas; de acompanhamento nutricional para equilibrar comportamentos alimentares e controlar os exageros e compulsões; e/ou acompanhamento de um profissional de educação física a fim de prevenir reganho de peso e outras complicações clínicas e psicológicas.

A cirurgia não faz o paciente ser magro, ela ajuda o paciente a estar magro! O sucesso depende dessa parceria.

Fonte: https://veja.abril.com.br

Doença da Vesícula Biliar – Coléstase

Os procedimentos da doença da vesícula estão entre os mais comuns no grupo de cirurgias no aparelho digestivo.

A vesícula biliar tem a única função de armazenar a bile produzida no fígado. Quando a pessoa ingere alguma quantidade maior de gordura, ou quando ela sente vontade de comer, a vesícula começa a se contrair esperando que este alimento chegue no intestino, quando a vesícula para essa contração e não despeja mais a bile armazenada para dentro do intestino se dá início a doença da vesícula, a bile não despejada começa a cristalizar, formando cálculos, as popularmente conhecidas pedras na vesícula.

Diferente do cálculo renal, o único tratamento para o cálculo é a retirada de toda a vesícula juntamente com os cálculos. Existem duas maneiras de se realizar esta cirurgia, a primeira é a convencional com um corte de 10cm a 15cm e a outra, a mais utilizada, é a cirurgia por vídeolaparoscopia, com quatro cortes sendo dois cortes de 2cm e dois cortes de 5mm, nesta modalidade se insufla ar dentro do abdome e insere-se uma câmera que auxilia no procedimento. A cirurgia dura em torno de uma hora, e geralmente não apresenta complicações.

São acometidos pelo problema pessoas com uma pré-disposição genética e a doença é causada principalmente pela ingestão de alimentos gordurosos, ricos em colesterol, e em pessoas com o colesterol alto, por isso a preocupação em casos de obesidade e sobrepeso.

Quanto aos sintomas, podem ser desde uma simples má digestão ou indisposição à alimentos gordurosos, quando há um desconforto vago ou localizado na parte superior do abdômen,  até sintomas mais graves como vômito e febre.

Acesse nosso conteúdo completo sobre esta doença ou entre em contato com um de nossos especialistas.

Obesidade e doenças relacionadas

A obesidade é uma doença grave que acarreta vários malefícios para a saúde e danos psicológicos. Para que você compreenda a dimensão que ela pode assumir, separamos uma lista com as principais morbidades associadas a ela:

 

Hérnias discais – devido ao grande peso que carregam, os obesos apresentam muitos problemas nas costas e nas hérnias de discos. Em grande parte das vezes, o tratamento é cirúrgico, sendo a bariátrica uma opção viável e benéfica.

 

Depressão – baixa autoestima, discriminação e ausência de resultados efetivos com dietas são os principais fatores que levam a pessoa obesa à depressão. Alguns estudos revelam que apenas 30% dessas pessoas recorrem a tratamentos.

 

Disfunção erétil – O tamanho da cintura masculina pode gerar problemas urológicos e disfunção erétil. Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina Weill Cornell (EUA) revelou que homens com cintura igual ou maior a 101 cm tendem a apresentar esses problemas e também ejaculação precoce.

 

Asma grave não controlada – A obesidade causa o estreitamento das vias respiratórias e agrava a asma não controlada.

 

Muitos problemas são derivados da obesidade, porém há tratamento e cura para a doença. Busque especialistas e comece seu acompanhamento o quanto antes!

Risco de compartilhar informações pela internet

Os pacientes da cirurgia bariátrica tendem a buscar muitas informações sobre o procedimento, etapas da operação e técnicas. Entram em grupos, fóruns e blogs para terem certeza que estão tomando a melhor decisão. Essa é uma iniciativa comum, porém, é preciso ter cautela e perceber o que pode ser utilizado ou não.

Já notamos que há uma parcela de pessoas que buscam esse tipo de espaço para debater dietas, saber qual o melhor remédio ou suplemento e o que deve ser feito casa haja uma dor estranha ou um refluxo. Esse comportamento deve ser evitado!

Cada organismo reage de uma forma a cirurgia. Há diferentes técnicas com resultados diferenciados. Por isso, deve ser realizada uma bateria de exames e laudos antes da cirurgia. Você deve pensar na operação e em sua recuperação como algo estritamente individualizado e não compartilhar informações com outras pessoas que postam dúvidas em grupos da internet.

Postagens que debatem a troca de alimentos apontando qual é o melhor para o seu caso e o que você poderá ingerir são extremamente perigosas e equivocadas. Esse pode ser o erro mais grave que você cometerá durante seu pós-operatório. Cada organismo demanda nutrientes e vitaminas diferentes. Ao trocá-los por conta própria, você corre o sério risco de provocar uma anemia ou desenvolver doenças ligadas a esse déficit nutricional. Em caso de dúvidas, sempre procure orientação profissional.

Outra situação recorrente e gravíssima é a procura por orientação on-line quando existe algum sintoma considerado anormal após a cirurgia. Nestes casos, é imprescindível que a pessoa consulte seu cirurgião ou um pronto-socorro. Uma avaliação clínica apontará se há algum indício de doença ou complicação decorrente da bariátrica e apontará o melhor tratamento para o caso.

A internet pode ser nossa grande aliada durante o processo, mas deve ser usada com cautela. Lembre-se que a melhor fonte de informação sempre será a equipe multidisciplinar que te atendeu. Sempre a procure, esclareça suas dúvidas e cuide da saúde!

Agendamento via whatsapp