Publicado em

temperos naturais e saborosos para substituir o sal

5 dicas de temperos naturais para reduzir o sal - 26 de abril dia nacional de prevenção e combate à hipertensão arterial

O consumo excessivo de sódio faz mal à saúde e acaba sendo um vilão no cotidiano de quem deseja manter uma alimentação equilibrada.  A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é o consumo diário não ultrapassar 2.400 mg, ou seja, 6 gramas de sal. Diversas pesquisas revelam que o consumo brasileiro chega a ser mais que o dobro recomendado. Por isso, nossa nutricionista separou 5 sugestões de temperos naturais para substituir o sal em suas refeições para ficarem mais saborosas e saudáveis.

1 – Mix de ervas

Pode ser usado para preparar carnes, molhos e feijão, entre outros alimentos. Basta bater no liquidificador as partes iguais de sal marinho, orégano, manjericão e alecrim (ervas desidratadas). Você também pode variar usando semente de mostarda, cominho e pimenta do reino entre outros temperos naturais.

2 – Marinada

Tempere carnes com uma mistura de vinho, suco de laranja, suco de limão ou suco de abacaxi com temperos, como cebola, alho, alecrim, coentro, sálvia, tomilho e louro. Deixe a carne marinando na geladeira por cerca de uma hora. O tempero deixará a carne mais saudável e saborosa.

3 – Óleo de especiarias

Utilize azeite de oliva extravirgem, pimenta dedo-de-moça, um dente de alho, um ramo de alecrim e folhinhas de manjericão. Use o próprio vidro do azeite para juntar os ingredientes. Varie as opções e terá vários sabores para temperar saladas, refogar a comida ou comer com pão e torradinhas integrais.

4 – Gersal

Excelente opção para o preparo de arroz, legumes ou saladas. Misture quatro colheres de chá de semente de gergelim torrado com duas colheres de chá de sal marinho grosso. Triture e guarde em um pote fechado.

5 – Caldo caseiro de legumes

Um preparo simples para substituir os cubinhos industrializados  de caldo de legumes. Cozinhe alho, alho-poró, louro, orégano, aipo, cenoura, moranga e talos com água. Coe e congele em potes para usar em risotos, sopas e molhos.

Publicado em

Chocolate, Páscoa e obesidade. Pode? 

como reduzir a quantidade de chocolate na páscoa?

A Páscoa se aproxima e sabemos que, às vezes, é muito difícil ficar distante dos ovos de chocolate. São tantas opções, tantos parentes, além dos pais, para presentar que, fica muito difícil controlar o consumo de doces.

Elaboramos algumas sugestões para você reduzir o consumo e, ainda assim, manter o divertido clima pascal.

Amigolate – O amigo oculto mais popular nessa época pode reduzir a quantidade de ovos de páscoa recebidos. Proponha esse evento como alternativa para reunir todos para um delicioso almoço de Páscoa.

Compartilhar – Não é difícil encontrar pessoas que não ganham doces na páscoa. Às vezes é um coleguinha do filho. Que tal incentivar atos solidários, encorajando seu pequeno a doar parte do que ganhou, inspirando atitudes mais nobres?

Escolha bem – Cuidado ao optar por chocolates diet ou branco, pois têm muito mais gordura que chocolates comuns e podem ser bem mais calóricos. Dê preferência ao chocolate meio amargo.

Divida em porções – Evite que as crianças comam todo o chocolate em um dia só. Além do risco de passarem mal, podem se acostumar a comer mais que o necessário diariamente e isso deve ser combatido sempre.

Prepare um almoço saudável O almoço de Páscoa geralmente é um momento para reunir toda a família e celebrar a vida, desejando prosperidade e paz. Prepare uma refeição leve e saborosa, assim, satisfeitos, os pequenos comerão menos doces na Páscoa, sobremesas saudáveis são uma boa alternativa.

Vale lembrar que, conforme a Anvisa, é comum os bombons e ovos possuírem gordura trans em sua composição.  O  consumo desse tipo de gordura em grande quantidade pode causar inflamação dos tecidos, principalmente, em obesos,  elevando a incidência de diabetes, aumentando os níveis de triglicérides e o risco de doenças cardiovasculares em mais de 50%.

Em caso de dúvidas, fale com nossa nutricionista, Ana Paula Meireles. Você será muito bem atendido em nosso instituto.

Publicado em

Obesidade e depressão – Dia Mundial da Saúde

Dia mundial da saúde, obesidade e depressão

Em 2017 a Organização Mundial de Saúde (OMS) aproveita o Dia Mundial da Saúde (7 de Abril) para alertar sobre a depressão, um transtorno que tem surgido com cade vez mais frequência em todo o mundo, e falando sobre o tema, daremos o primeiro passo para compreender melhor a doença e encorajarmos cada vez mais pessoas a procurarem por informação e ajuda.

A depressão tem uma forte relação com a obesidade, sendo que aproximadamente 30% das pessoas que procuram por um tratamento para emagrecer, apresentam algum grau de depressão, daí a necessidade de ressaltar a importância de conversarmos sobre este tema no Dia Mundial da Saúde.

A doença pode apresentar sintomas como compulsão por comida e aumento de apetite. O indivíduo come muito, se arrepende e fica com baixa autoestima.

A depressão aumenta a circulação do cortisol, uma substância que também é conhecida como “hormônio do estresse”, induzindo ao acúmulo de células de gordura na região abdominal.

Sabe-se que a melancolia profunda reduz a produção de serotonina e a noradrenalina. O resultado dessa disfunção é aquela vontade de comer carboidratos — doces, pães e massas. Para combater o ciclo da obesidade e depressão, é recomendável um tratamento multidisciplinar, com apoio de psicólogos, nutricionistas e atividade física.

Prevenir a depressão ajuda nos resultados do tratamento da obesidade.  Como alguns antidepressivos levam ao aumento de peso e apetite, é importante conversar com um médico sobre as opções mais adequadas.

Publicado em

5 dicas para você se manter motivado

A prática de atividade física pode demorar a se tornar um hábito até ser  considerada prazerosa. A quantidade de pessoas que desistem e cancelam a academia é grande. A definição de um dia mundial para conscientizar sobre a importância dessa atividade ajudaria a reforçar como é fundamental resistir à preguiça, insistir nas mudanças e perseguir os objetivos.

Aproveitamos o Dia Mundial da Atividade Física para citar algumas dicas preciosas que mantêm a motivação e auxiliarão no sucesso de seu objetivo em perder peso.

Faça exercícios conforme sua disponibilidade – Não adianta encaixar uma rotina de academia que exige um tempo que você não tem. Apenas adapte seu tempo disponível para aumentar a frequência e intensidade, respeitando seu ritmo.

Coloque músicas animadas – A música está presente em vários momentos da vida e para se exercitar não é diferente. Em diversos aplicativos é possível você escolher ou montar uma playlist para malhar.

Convide um amigo – Com companhia é sempre mais divertido. Combine com alguém um horário e façam exercícios juntos. Pode ser caminhada, corrida, academia. O importante é se mexer.

Treine em casa – Existem aplicativos que auxiliam no treino e podem potencializar os resultados. Vários desses aplicativos se conectam com as músicas do celular para deixar o treino ainda mais divertido. A vantagem é você selecionar conforme o tempo que pretende treinar durante a semana, pois é altamente personalizável e com opção de treinar com um amigo.

Deixe a timidez em casa – A ida para a academia no começo pode ser um pouco desafiadora para quem é tímido. Contudo, todos os que lá estão, possivelmente, também começaram da mesma maneira. Confiança vem com prática.

Pense sobre o futuro e você agradecerá por iniciar  já as mudanças de hábitos. Procure orientação com um preparador físico e um nutricionista.