Publicado em

Problemas Respiratórios Intensificados pela Obesidade

O sono é um momento muito importante para descansar o corpo e a mente e renovar as energias. Entretanto, para algumas pessoas, esse período é igualmente cansativo e desgastante, pois  não têm consciência de que sofrem de apnéia do sono, um distúrbio caracterizado por um ronco profundo, seguido de uma rápida parada respiratória. A situação pode ocorrer diversas vezes durante a noite, interrompendo rapidamente o sono.

As interrupções geram desconforto por impedirem a entrada em sono profundo, provocando sonolência, cansaço e irritabilidade emocional durante o dia.

Os dados do Ministério da Saúde, baseados em resultados de pesquisas do Instituto do Sono, revelam que cerca de 50% da população brasileira se queixa da qualidade de sono ruim e cerca de 30% da população adulta sofre de apneia.

Em indivíduos obesos ou super obesos, a apnéia do sono tem maior intensidade, motivo pelo qual a perda de peso é importante para auxiliar na melhoria da qualidade do sono e, por extensão, em um melhor humor e mais disposição durante o dia.

A obesidade é uma doença grave e com diversos danos psicológicos e para a saúde, mas tem tratamento. Pesquise especialistas e inicie um tratamento o quanto antes para garantir noites de sono mais tranquilas e todos os outros benefícios de uma vida mais saudável.

Publicado em

Seletividade Alimentar: Fique atento às escolhas das crianças

Os bons hábitos devem ser adquiridos bem cedo para evitar as complicações que acompanham as crianças até a vida adulta. A obesidade infantil pode ser causada pela falta de um monitoramento adequado para garantir uma prática esportiva e uma alimentação diversificada.

O acompanhamento deve ser preventivo para observar se a criança é seletiva com os alimentos ingeridos.  Muitas pessoas têm, desde a infância, algum alimento específico ou grupo que pode ser desagradável ao paladar, como laticínios; carnes; frutas e vegetais. Aparentemente é um detalhe inofensivo, mas que pode gerar péssimos hábitos que prejudicam a saúde infantil, pois, geralmente, os alimentos selecionados como favoritos pelos pequenos, seja pelo olfato, aparência ou paladar, são os mais prejudiciais à saúde.

Segundo o IBGE, uma em cada três crianças, entre 5 e 9 anos, está acima do peso. Lidar com esse problema, desde cedo, é fundamental, pois cerca de 80% das crianças que permanecem com sobrepeso na adolescência, mantêm essa condição na vida adulta.

É importante ficar atento à seletividade alimentar que pode ser um indicador, tanto de obesidade, quanto de outros transtornos psicológicos, como o TOC, por exemplo. O acompanhamento profissional especializado em pediatria e nutrição pode ser recomendado, conforme o caso.

Deve-se buscar ajuda, logo que qualquer problema relacionado à alimentação apareça, pois é fundamental para garantir um tratamento eficaz e amparar a família, independentemente, de haver comprometimento de peso, crescimento e desenvolvimento.